28 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo!

Um novo ano

Um novo ano está chegando. Um ano de esperança, de renovação, de recomeço. E, se está assim tão próximo, melhor mesmo é começarmos a nos preparar. Deixar de lado tudo o que não serve. Tudo o que nos faz tristes, nos coloca para baixo.  Inveja, ressentimentos, orgulho, ego, vaidade, sofrimento, tudo o que não serve. Por que não? Por que não experimentar o novo?
Por que, ao invés de ficar por aí, aos cantos, chorando, se vitimizando, não jogar toda a tristeza fora e recomeçar? É claro que não é assim tão simples. Boicotamos-nos até sem saber. Abandonamo-nos muito antes de sofrer. Antecipamos-nos a dor e, então, só causamos mais dor.
O convite para esse fim de ano é fazer uma limpeza total. Comece jogando fora pequenas coisas. Outras – doe! Doe para quem possa precisar. Não mantenha nada em casa que não seja de utilidade. Desfaça-se de tudo o que é demais. Depois, atenção: cuidado com os pensamentos confusos e, em especial, com a palavra. Com o que profetiza é o que chama para sua vida.
Poder A palavra falada realmente tem poder. São tantas as seitas e religiões que já entenderam isso – por que não você? Não importa em que acredita, Deus quer te ver sorrindo e, para tanto, a lição de casa deve começar dentro.
Então, aproveite e limpe seu coração. Sua mente. Limpe seus sentimentos, seus pensamentos. Toda vez que pensar nas perdas, na maldade, na tristeza, mude o tom. Conecte-se com a luz. Com o sol, a natureza. Lá você encontrará forças revigorantes.
Ajuda Acima de tudo, peça ajuda. Você não precisa estar sozinho. Não precisa fazer sozinho. Não necessita de nada que não queira, que não faça bem. Peça ajuda para libertar-se de tudo o que o acorrenta a marcas, cicatrizes, a crenças infantis que te tiram do caminhar.
Conecte-se com o amor. O amor incondicional, o amor que a todos dá e nada pede de volta. O amor universal. Inclua nos seus pensamentos e preces a bondade, a paz, a amizade. Peça para o mundo, estamos todos precisando de cuidado.
Você verá que seus problemas são tão pequenos, aliás, somos tão pequeninos quando comparados ao todo que melhor se estivermos rodeados de espiritualidade de afeto, de tudo o que transforma. O ano vai começar e, com ele, dê-se uma chance!
Viva Aproveite todas as oportunidades que surgirem à sua porta. Esteja presente. Esteja atento, esteja vivo! Queira estar radiante. Quando queremos de todo nosso coração, acontece! Então mude o tom, o ritmo, o som – olhe para o lado, olhe para si, olhe para o outro. Deixe de ser um espectador e assuma de vez a posição central nesse palco que é a sua vida.
Queira mais, doe-se mais, faça tudo para ser e viver em plenitude, cercado daqueles que ama. Se ainda não tem um par, ok, ele talvez chegue, talvez não – nada importa quando estamos de bem conosco. Quando nos sentimos assim – felizes –, conseguimos ver brilho em tudo. Em uma música, em um pássaro que canta, em uma criança, em uma árvore, em um céu azul, nas flores, tudo se torna sagrado. Tudo é um bálsamo para nosso viver…
E, então, vamos nos descobrir não no cenário, mas parte dele. Integrados ao cosmo e a toda a beleza e verdade possíveis. Que venha então o novo ano, que possamos comemorar um Natal lindo cheio de amor, paz e renascimento com nossos amigos e familiares.
Que possamos virar esta página, parar de rascunhar nossa história e jogar para valer. Nessa toada, incluir o outro ou outros tantos que precisam e estão cheios para dar e receber amor será muito mais possível.
Escolha, escolha sempre! A vida, a existência, o aprendizado e o caminho são seus! Seus e de mais ninguém

Sandra Maia, colunista do Yahoo.

Um comentário:

  1. Hola Malu, cá estou retribuindo suas visitas que me alegram muito. Seu blog está lindo e a escolha de textos, perfeita!

    Desejo-lhe um 2011 que surpreenda você e seus familiares. Muita saúde e luz.

    Sua amiga,
    Vitalina de Assis.

    ResponderExcluir

Palavra puxa palavra, uma ideia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução, alguns dizem que assim é que a natureza compôs as suas espécies.

Machado Assis